diario fotografico

40 horas em Itacaré.

terça-feira, janeiro 31, 2017


Deise é a prima que tem a idade mais próxima da minha e por isso acabamos tendo um pouco mais de afinidade. Sempre sonhamos em viajar pra algum lugar e NUNCA dava certo, e por ela morar na Argentina é bem complicado tentar alguma coisa em outro período do ano que não seja entre dezembro/janeiro. Só que esse ano foi diferente, quando chegamos aqui no fim do ano passado decidimos ir pra Itacaré, a principio meus irmãos também iriam junto, não deu certo, mas nós duas seguimos com a ideia, e dessa vez conseguimos ir :) e aconteceram tantas tantas coisas, vou falar de algumas delas pra vocês.
Para começar chegamos na Rodoviária e eles não achavam a minha passagem de forma nenhuma no sistema, já tava quase dando um desespero e eles ainda falaram "É, só a Deise vai" e eu dentro tava meio surtando, mas no fim eles me acharam e fomos. De Jequié pra Itacaré são 166km, ou seja duas horas e meia de viagem, certo? ERRADO, passamos 8 horas pra chegar lá, por que era ônibus pinga-pinga, ou seja só de Jequié para Ilheus foram CINCO HORAS de viagem, mas nós duas estávamos tão felizes que nem ligamos.
Chegamos em Itacaré e fomos atrás do conhecido do meu padrasto que talvez iria conseguir um lugar pra gente ficar, depois de um pé furado em um vidro no meio da rua e algumas voltas, chegamos no escritório do cara, e com uns minutos de conversas, nos fomos pra pousada, e cara, nós nem estávamos acreditando que íamos ficar em pousada com vista pro rio (por que nós estávamos preparadas pra ficar em albergues por causa de $$$$).
Depois de nos localizarmos fomos almoçar (mesmo que fosse 18hrs) e andar um pouco pela cidade, que é pequena, mas bem maior do que eu estava imaginando, nossa primeira noite foi bem calma, andando por lá e programando coisas pra fazer no outro dia.







Sábado acordamos bem cedo e seguimos para as praias, chegamos em Resende e já estávamos apaixonadas por lá, aquele mar azul, o céu clarinho e andando um pouco vimos umas piscinas naturais nas pedras (as praias que fomos são ligadas por um caminho de pedras, bem legais de atravessar), seguimos andando por cada praia, até chegar na Ribeira, lá encontramos o Jacaré, um guia que estava indo com uma família para a Prainha, e depois de chorar um pouquinho pelo preço da trilha, seguimos com eles... E gente, valeu tanto a pena que eu nem sei se vou conseguir por em palavras toda a beleza do lugar. Começamos a andar e o Jacaré falava das aranhas, cobras, plantas e histórias da região, depois de 40 minutos andando saímos em um lugar tão tão lindo que parecida mentira, eu lembro que pensei estar em Nárnia, e parecia algo assim mesmo, imagina fazer uma trilha e sair em um lugar paradisíaco? Tiramos umas fotos e seguimos pra tomar banho de mar, e que gostoso <3, aquela água boa de entrar, praia quase vazia e eu só conseguia pensar sobre como Deus é incrível, ficamos um tempo lá, voltamos depois das 14 e fomos almoçar, ficamos um pouco mais nas praias e fomos pra Praia de Concha para ver o por do Sol, de lá fomos pra pousada tomar banho, descansar um pouco e mais tarde saímos.












Eu acho que a parte mais legal de viajar com um amigo/primo é isso de não ter roteiro, escolher o que fazer e quando fazer, e mesmo quase sem dinheiro, encontrar coisas legais para fazer.
No domingo de manhã aproveitamos mais um pouco das piscinas naturais em Resende e de tarde viemos embora.


Pode parecer engraçado, mas eu voltei pra casa renovada, feliz e pronta pra começar o ano de vez. 2017 vai ser daqueles anos cheios de mudanças na vida e foi bom dar um ponta pé assim.
Depois das coisas que passamos (e que eu nem disse aqui), agora eu tenho certeza que Deise e eu podemos fazer qualquer outra viagem dar certo, e isso é lindo, agora é parar e fazer uma lista de lugares dos sonhos para ir, por não? Não é mesmo? Afinal somos primas e o melhor disso é que temos a vida toda pra fazer dar certo qualquer uma delas.
<3.

fotografia

natural e simples

quarta-feira, janeiro 11, 2017


Tô em Jequié e aqui não tem quase nada pra fazer, e eu não tô exagerando, não tem! E como minha mãe mora só com meu padrasto, eles não "precisam" de uma internet boa, já que só usam pra Facebook e as vezes YouTube, então até Netflix tá bem complicado esses dias. Mas depois de uns dias reclamando de não ter o que fazer, eu, meus dois irmãos e Deise e Marta (que são nossas primas), decidimos encontrar coisas legais pra passar o tempo. Só encontramos lugares legais de comer e então passamos uma semana comendo hahah, mas não é a coisa mais barata do mundo e depois de alguns dias a grana apertou, então decidimos pensar em outras coisas. E aí tem uns 5 dias que eu e Deise estávamos falando de fazer um ensaio dela, e ela veio com a ideia de fazer algo natural, simples, uma coisa de dia-a-dia mesmo, e hoje ela veio aqui em casa e foi lindo, tão lindo que eu animei de editar as fotos logo e de fazer post.
Foi aquele momento gostoso de viver sabe? Nós moramos longe, e já havia dois anos que não nos víamos, então é muito legal ter esses momentos de aproveitar juntas, e fotografando só melhora.










E ficou simples, natural e lindo <3.

diario fotografico

SENHORITA, PORTA FECHADA NÃO SE ABRE.

quinta-feira, janeiro 05, 2017


Em Julho de 2016 eu passei o mês todo no Rio de Janeiro (vamos ter mais alguns posts sobre lá) e pensando no primeiro é impossível não começar com a Joice, se você acompanhava o KLT já a conhece, tinha um monte de post lá com alguma coisa relacionada a ela, mas se não, a Joy é a minha amiga mais antiga da vida, e uma das melhores, nos conhecemos tem 20 anos, e eu tenho 23, então é quase toda a minha vida mesmo, nos conhecemos por que os nossos pais são missionários na mesma organização (que é onde nós duas somos hoje também), e a parte ruim disso é que mesmo nos conhecendo desde cedo, por morarmos longe só nos encontrávamos umas duas/três vezes no ano. Esse ano ela acabou morando no Rio e eu fui pra lá por causa da JOCUM e pela primeira vez na nossa vida, passamos um mês na mesma cidade.
E foi lindo, lindo, lindo! Poder nos encontrar toda semana, fazer trabalhos juntas com a JOCUM, sair e rir juntas, conhecer o outros amigos dela... Enfim, eu amo como não precisamos de muito pra nos divertimos e como é gostoso ficar junto. No dia dessas fotos, estávamos no metrô e ouvimos que a próxima parada era a que ia pra Laranjeiras -a nossa amizade é muito musical, temos musicas e cantores que são nossos favoritos juntas e All Star do Nando Reis é uma delas-, então quando a Joy comentou que aquela parada era a de Laranjeiras, nós decidimos descer lá, mudando totalmente nosso planejamento, e ó, foi lindo <3.
Descemos, e andamos um monte ali pela região, compramos juntas uma coleção com 6 livros por 20 reais em uma senhora no meio da rua, comemos a promoção do dia do KFC e fomos em um museu, conversamos por horas, desistimos de ir pegar uma praia, andamos mais um monte pra uma outra direção -isso é tão  maravilhoso no Rio, a facilidade que coisas legais-, tentamos alugar bicicletas, tiramos fotos e dividimos alguns docinhos... No fim foi um daqueles dias que com certeza quando estivermos conversando daqui 40 anos, ou quando formos falar da nossa amizade pros nossos filhos e netos, vamos comentar, foi lindo, foi espontâneo, foi nosso sabe?













E no fim, não é que portas fechadas não se abrem mesmo? Hahah.

Tecnologia do Blogger.